sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Última Parada 174

Quem não se lembra do dia em que um ônibus ficou parado por mais de quatro horas na R. Jardim Botânico, com um único homem armado e suas vítimas de reféns?

Última Parada 174, baseado na história de Sandro do Nascimento, tenta contar como um sobrevivente da "Chacina da Candelária" chegou a tal ponto e o seu fim.

Depois do documentário Ônibus 174 de José Padilha (Tropa de Elite), pensei que tal tema não seria mais tratado na telona, aguardava um livro ou até mesmo que aos poucos fosse caindo no esquecimento. Ainda bem que isto não aconteceu. O filme de Bruno Barreto (O que isto Companheiro?) é uma porrada que não derruba, mas te deixa atordoado. Sim, ele humaniza o "vilão" Sandro, mas na minha opinião não o torna uma vítima. Pra mim, o grande golpe vem no final, quando a multidão rompe o cordão de isolamento e invade gritando para espancar e linchar um criminoso que já tinha sido rendido pela polícia.

Enquanto isto na vida real, após sucessivos episódios de ações com erros policiais e falta de consciência da mídia. O filme é bom para lembrar que isto vem ocorrendo desde 2000 e até o momento nada melhorou, afinal de contas todos os policiais que estavam envolvidos com a morte por asfixia de Sandro foram julgados inocentes. Acho que é por isto que o brasileiro reclama de tanto "cinema favela", pra gente isto não é ficção, é realidade e acontece no nosso quintal sem que ninguém faça algo para mudar.





Acesse:

Um comentário:

Smiri disse...

Oi! (Como você achou o meu blog??)
Eu só assisti o documentário Ônibus 174. O propósito é parecido, ele apresenta o sequestrador, para depois apresentar o fato. Acho que coisas assim, atingem qualquer telespectador, mesmo que apenas para um questionamento. Mas por enquanto, assim como você não tem vontade de assistir Jogos Mortais, não tenho vontade de ver Última Parada 174.

;*