quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Heroes


Eu aguardei o terceiro episódio para falar da nova temporada de Heroes. Isso por simplesmente ter achado que os dois primeiros foram um pouco forçados, jogaram muita informação de uma só vez. Grandes reviravoltas na trama, mortes (desnecessárias) de personagens e ainda apresentação de outros. Fiquei com o pé atrás.

O que está me preocupando é que a trama começou a seguir um caminho que se aproxima da proposta da série 4400. O que eu curti em na série cancelada, mas acho que não cabe em Heroes.

Uma boa parte do elenco principal foi mantida, mesmo que o personagem não tenha sido, e outros retornaram a aparecer. Nesse quesito estão abusando um pouco do fator cômico de Hiro Nakamura e Ando.

Para compensar, parece que as duas primeiras temporadas deram bastante estabilidade financeira à produção. Direção de arte, efeitos visuais e cenários melhoraram muito. Não que antes fossem ruins, mas dava para perceber que eles mantinham os pés no chão.

Realmente é muito difícil manter o nível de uma série, a história tem começo, não se sabe ao certo onde é o meio e existem poucas garantias do fim. Essa dificuldade é para os roteiristas, para o público, cada episódio deve ir desvendando a trama aos poucos. Espero que os próximos me provem que eles continuam tratanto com o mesmo cuidado.



Acesse:

Um comentário:

Ock-Tock disse...

Engraçado vc falar da “pressa” no início da terceira temporada. Os fãs caíram de pau na segunda temporada porque acharam que ela estava arrastada demais, tudo demorava a acontecer e a greve de roteiristas que acontecia ao mesmo tempo também não ajudou em nada.

Recentemente eu peguei a segunda temporada na locadora e adorei – não entendi o porquê da crucificação dela. De qualquer forma, deve ser por causa dessa negatividade da temporada anterior que o “terceiro livro” deve ter começado atropelando a tudo e todos. Como eu não acompanho pela TV (gostei da experiência de assistir tudo pelo DVD em um tiro só), conferirei quando chegar à locadora.