terça-feira, 4 de novembro de 2008

A Canção da Espada

Uthred, filho de Uthred, senhor herdeiro de Bebbanburg de terras usurpadas pelo seu tio, viu o seu irmão mais velho e pai serem mortos por dinamarqueses, mas ainda assim ama este povo e sua cultura. Porém o destino é inexorável para este saxão que se vê cada vez mais ligado a Alfredo, o grande e em sua luta de realizar o seu sonho, o grande reino da Inglaterra enquanto busca o momento de retomar suas terras de direito. Ele também é o personagem fictício escolhido por Bernard Cornwell (As Crônicas de Arthur) para contar esta saga.

Já foram publicados quatro livros das Crônicas Saxônicas, e terão mais. Em todos eles acompanhamos a história da unificação da Inglaterra através dos dilemas, combates e conquistas de Uthred e Alfredo durante os últimos anos do século IX.

Cornwell, como sempre, descreve os costumes da época, as questões dos homens, as simplicidades e complexidades desta vida de forma primorosa. Ele nos transporta para outro tempo através do clima, do terreno, das relações pessoais, do momento da parede de escudos e o júbilo da batalha.

Uma das coisas mais interessantes nesta crônica é o fato que ambos os personagens poderiam se completar muito bem se não fosse apenas pela simples questão de fé entre os dois. Mas em seus princípios, poderiam ser irmãos. Enquanto praticamente se odeiam e são obrigados a ser aliados.

No quarto livro, A Canção da Espada, ele narra como os homens de Alfredo, liderados por Uthred, recuperam Londres dos dinamarqueses e iniciam o processo de tomada de todo o reino. Não é o melhor livro da saga, o terceiro ainda é incomparável, mas ainda assim é muito bom. Cornwell poderia ter escrito ao menos umas duas páginas a mais.

Um detalhe da tradução brasileira, é que as capas estão belíssimas.

Os livros das Crônicas Saxônicas:

Um comentário:

Janara disse...

Vou acrescentar a informação de que essa capa maravilhosa foi feita por um dos ilustradores mais bacanas do Brasil, o Kako. www.kakofonia.com