terça-feira, 13 de maio de 2008

O Leão de Titânio

Na segunda quinzena de junho irá acontecer a 55ª edição do maior prêmio da publicidade mundial. O Cannes Lions 2008.

Nessa edição, mais do que nas outras, o leão de titânio que é dado para a criação que traga maior inovação para industria e que ajude a derrubar paradigmas, está em grande destaque. Espera-se muito das mídias integradas.

Na minha opinião, a integração de mídias ou multi-plataforma está ainda nos seus primeiros passos. Diria até que engatinhando.

Tudo bem que o mundo já se conecta a web por celular, assisti vídeos em seus players portáteis, a tv já é digital e temos o YouTube e outros veículos pela web.

Mas o mais importante é a sensação e predisposição do público. Naturalmente a relação que você tem com uma sala de cinema é diferente da relação com o seu sofá e sua tv, os filmes possuem outro impacto de acordo com o ambiente. Isso se repete com o player, o celular ou o desktop/laptop. Sua relação é diferente. E essa busca pela multi-plataforma está apenas no começo tal quais essas relações.

Cabe a indústria extrair o máximo de cada mídia, o poder de interativade da web, o poder de individualização do celular ou player, o poder de conforto e socialização da tv e cinema e assim por diante. O que não vai adiantar é aplicar o mesmo comercial em todas as mídias, isso não é romper paradigma, isso é apenas veicular.

Embora o presidente desse juri, Mark Tutssel, ter mencionado que a mídia impressa de massa está acabando (o que discordo completamente), confio em sua capacidade e acredito que ele e seu juri de titânio esteja buscando um trabalho como o descrito acima, adequado a multi-plataforma e não veiculado. Acho que teremos uma grande seleção esse ano.

2 comentários:

Domi disse...

só em cannes.... devolver meu livro do uóshigton, nem pensar né? DANAAAAAAAAAAAAAAAADO

Fasa disse...

Essa história de que mídia impressa vai acabar eu tb ouço desde o advento da internet. Até que o e-paper se torne prático e economicamente viável, duvido. O que me leva a perguntar: mais do que extrapolar no desenvovimento das mídias, chegará a hora em que precisaremos focar na tecnologia aplicada aos canais? Aos veículos físicos de fato - para comportar a tal integração? Papo para a cerva do fim de semana, mermão...