quarta-feira, 14 de maio de 2008

Das telas para as caixinhas

A atriz nova iorquina Scarlett Johansson lançou seu primeiro trabalho como cantora. Já ouvi Anywhere I Lay My Head umas quatro vezes para formar uma opinião e acredito que ainda não esteja completamente definida.

Posso garantir que é um trabalho diferente do que tem sido feito na indústria americana, o que já é um ponto positivo. Não é diferente apenas da onda industrial, esse trabalho tem muitas características próprias, que podem torná-lo único.

Até o momento considero o som agradável, mas nem um pouco marcante, talvez seja por causa da voz da cantora que, pra mim, não tem nada demais. Já os arranjos beiram o experimental, com muitos instrumentos e sintetizadores trabalhando bem juntos e algumas vezes abafando a voz da própria.

Se você quer fugir da industria americana e da nova onda do rock britânico, o álbum dessa queridinha de Hollywood pode ser uma boa.

Um comentário:

Fasa disse...

Posso levar a queridinha de Hollywood e deixar o álbum para trás?