domingo, 23 de janeiro de 2005

Devia ter ouvido os sinais.

Acabo de retornar do cinema. Eu e Leticia fomos assistir Alexandre. Antes de chegar ao cinema fomos avisados pela Nandinha que o filme era uma bomba, chegando lá eu estava passando mal e ao sentar na poltrona descubro que o cara ao meu lado estava com um “cecê” brabo. Ainda assim fui teimoso, não ouvi os sinais.

Tenho uma certeza, fui enganado. Primeiro comprei a idéia de Alexandre, o “bastardo” que, com dificuldades, conquista o trono deixado por seu pai. Nada disso, apenas uma ação oportunista do seu par homossexual. Segundo: comprei a idéia de Alexandre, o “conquistador” igualitário, que defendia os conquistados e pregava a igualdade entre os povos. Mais uma vez, tolice a minha, eram máscaras vestidas para proteger o verdadeiro sentimento de paranóia e insegurança do garoto perante possíveis conspirações. Terceiro, comprei a idéia de Alexandre, o “tirano”. Essa, de tão patética, dispensa comentários. Sabendo que fui enganado, me pergunto: o que Oliver Stone queria mostrar?

Além desses fatos, o filme vem em um momento propício para a política americana. Afinal, mostra um conquistador sem batalhas. Ele atravessa meio mundo e as duas únicas batalhas que são apresentadas são para destacar sua grandiosidade mesmo em total desvantagem. Outro ponto é o fato do Rei Dario ainda existir e ser forte enquanto estiver “vivo escondido nas montanhas”, esse ponto reforça demais a política de Bush em relação a Osama Bin Laden. Como se não bastasse, Bush teve problemas na eleição por ter se posicionado contra o casamento gay, e agora vem um filme apresentando de forma explícita esse lado de um grande conquistador. Acho que foi a Condoleezza Rice quem escreveu o roteiro (essa é pela Lelê).

As sete indignações:
01. As cenas da chegada à Babilônia me lembravam Moulin Rouge;
02. Só podem “sem querer” ter errado e trocado a trilha sonora do próximo “Esqueceram de Mim” ou “Harry Potter”;
03. Agora torno público: eu odeio o Colin Farrel;
04. Val Kilmer aceitou fazer esse filme (mesmo ele sendo a única coisa que presta);
05. Angelina Jolie aceitou fazer esse filme;
06. Anthony Hopkins aceitou fazer esse filme (mas deve ter exigido não contracenar com o Colin Farrel);
07. O inglês-macedônico da Angelina Jolie (outra pela Lelê);

Sério, no primeiro dia de filmagem, perderam o roteiro e, como já tinham investidores, fizeram o que deu.

Conclusão, se eu me chamasse Alexandre, a partir de hoje mudaria para Rodrigo.

12 comentários:

Rapha disse...

Concordo com todas as indignações do casal! Confesso que, mesmo sabendo que o filme ia ser uma m... completa, eu e meu marido, como bons historiadores, fomos assistir por mera curiosidade mórbida...

Eis as nossas indignações:
1 - Por que não filmaram o episódio do nó górdio, um dos mais famosos da história do moço?
2 - Por que diabos ele foi representado pelo Collin Farell, ainda mais com aquelas mechinhas de parafina + sol do Arpoador?
3 - Por que o Bagoas parece, a partir de determinado ponto, ser um personagem mais importante que o próprio Alexandre?
4 - Por que o Collin Farell???? Segundo o Daniel, ele é a Carla Perez da Antigüidade...
5 - O filme é chato, muito chato!
6 - O filme é longo, muito longo!!
7 - O filme tem o Collin Farell!!!
8 - E, last but not least, fizeram de um das maiores personalidades da História, comparável a grandes figuras como Napoleão e Jesus Cristo, uma bicha fresca e mimada (para piorar, interpretada por vc sabe quem!)!!

Beijos aos dois,

[comentário feito originalmente em 24/01/05]

Nanã disse...

Eu avisei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

(Aquela amiga chata que não perde a pilha!!!! =p)

Brincadeira... sabia que de qualquer forma vcs teriam que ver para julgar por si mesmos. Infelizmente não é o tipo de filme que a gente até gosta de tanto que ouve falar mal... É um filme "ingostável" mesmo!

Concordo com todas as suas indignações e as da sua amiga Ra. Acrescento:

1- O excesso de lápis de olho (fazendo todos parecerem o Rodrigo Santoro em Hoje é Dia de Maria.)

2- O Mega-Horrendo-Hair que fizeram nas madeixas parafinadas;

3- A extrema semelhância física e interpretativa do Colin Farrel com o Murilo Benício (só faltou ele dizer: Jade, eu te amo.)

4- A péssima caracterização num possível envelhecimento da Angelina Jolie.

5- A narrativa modorrenta (assim como o cc do cidadão ao seu lado)

6- Os péééssimos figurantes (motivo pelo qual a tal cena da entrada da Babilônia te lembrou Moulin Rouge. O que eram aquelas "palminhas"?)

7- A horrorosa interpretação do Jare

[comentário feito originalmente em 25/01/05]

Nanã disse...

Affe... ficou pela metade... Lá vai o resto:

7- A horrorosa interpretação do Jared Leto (que arrasou em Requiem para um Sonho) como o Heféstioooooon.

8 - E o fato de que a Super Interessante deste mês explica mil vezes melhor quem foi o Alexandre do que essa porcaria de filme... Ufa!

Beijos, amigo!!!!

[comentário feito originalmente em 25/01/05]

Fasa disse...

Experimente Phone Booth, ou Por um Fio, como preferir. É a única coisa do Collin Farewell - Farewell mesmo, porque esse cara só merece um adeus - que presta. De resto, acho que vou ver o filme só pra poder me indignar também!!!

[comentário feito originalmente em 26/01/05]

disse...

Não, amigo Fasa, não faça isso!!! Você corre sérios riscos de ter uma síncope no meio dessa joça! É muuuuuuuuuuuuito ruim, né pouco não!!!

[comentário feito originalmente em 26/01/05]

Nanã disse...

Eu avisei!!! Eu avisei!!! Eu avisei!!!! =p

[comentário feito originalmente em 26/01/05]

Frank disse...

Obrigado. Não vou assistir, talvez em um dia chuvoso, quando o DVD não for mais lançamento...
Ah, o Oliver Stone pediu descupas publicamente pelo filme.

[comentário feito originalmente em 26/01/05]

Rapha disse...

A pergunta, querido casal, é quando VOCÊS virão aqui em casa!!!

Mandem um e-mail para nós, assim fica mais fácil combinar um encontro, de repente um cinema e depois um jantar aqui (ou aí)...

O e-mail é raphaela.serrador@terra.com.br.

Beijos!

[comentário feito originalmente em 27/01/05]

Nica disse...

Eu tive sorte: li na semana de estréia do filme por essas bandas uma entrevista com o Oliver Stone falando que o filme é uma bomba. Isso mesmo, o diretor admitiu que ficou uma bosta. Depois dessa, nem perdi meu tempo!

[comentário feito originalmente em 27/01/05]

Cris disse...

Bem, o que dizer depois de tantos comentários? É obvio que não chego nem perto desse filme. Ei! Foi legal ver que a Rapha está bem e casadíssima, é sempre bom receber notícias!

beijins Mano.

[comentário feito originalmente em 27/01/05]

Marcelo Saraiva disse...

hehehehe
Tá bom, me convenceu (alias... me convenceram, mais um riscado da lista... vai ficar pra quando passar na Tela quente - isso se eu assitir quando passar na telinha !

[comentário feito originalmente em 28/01/05]

Gavlês disse...

Apenas para deixar a minha indignação registrada: Receber uma avalanche de livros não é nada bom!!!!!!!!!!

[comentário feito originalmente em 01/02/05]