sexta-feira, 3 de setembro de 2004

Sob a luz de neon do Manuel e Joaquim

Ontem, após um dia insanamente corrido, estressante e a todo momento todos estarem por um fio, sai da agência às 21 h e só pensava em um chopp com uma boa companhia. Infelizmente no exato momento minha mulher estava impossibilitada e alguns amigos não estavam disponíveis.

Mas valeu esperar um pouco e buscar a Leticia, sentar em uma mesa no Manuel e Juaquim, Bar e Botequim e descer três chopps como se fossem água. Caiu como uma luva. E nessa hora consigo perceber que ela não é apenas minha mulher, mas realmente minha melhor amiga, insubstituível e sempre presente. Te amo.

6 comentários:

Frank disse...

Adorei seu post. Me senti nele. Manuel e Joaquim é um lugar que, marketeiramente falando, me conquista pelo afetivo. Nossa, tenho tantas histórias, tantos risos neste lugar! E sei exatamente o que é esta declaração, a amizade da companheira. É algo que, como diria o Cazuza, "só entende quem namora"

Fasa disse...

Eu apadrinhei.
Eu apadrinhei.
É isso: eu apadrinhei!

disse...

(sorriso bobo na cara!)

George disse...

Toda a felicidade do mundo se resume a um sorriso bobo na face da mulher que amamos.
parabéns e []´s

Luanachka disse...

Acabei de postar a foto de Laetitia Marianne, sua amada...
Bjocas

Nanã disse...

Nossaaaaaaaa... Enfofei demais!!! Eu tb amadrinhei!!!!!! =)))