terça-feira, 17 de março de 2009

"De quem nós estamos protegendo essa gente?"

Antes de falar do filme eu preciso rever a história em quadrinhos. Watchmen foi uma história criada por Alan Moore (argumento) e Dave Gibbons (ilustrador) em 1986. Publicada em doze volumes com quadrinhos, trechos de um livro que fazia parte da trama, lembranças de décadas anteriores, músicas como referências e uma outra história embutida na principal. Ou seja, muito complexa.

O grande mérito dos quadrinhos foi que até então, nesta mídia, tudo era muito equilibrado, vilões eram vilões, assim como os heróis cumpriam o seu papel de heróis. Sem dúvida, tudo preto e branco, sem tons de cinza. Com Watchmen e outros trabalhos, isto mudou, os personagens tornaram-se mais humanos e mais cinzas. Em resumo, este é o valor deste trabalho, por isto ele é o que é.

Agora falando sobre o filme. É bom, Zack Snyder conseguiu não estragar a história, o que era uma missão muito difícil. Mas não é nada além disto, isto porque através do cinema já tinhamos convivido com personagens bem cinzas, tais como: Hannibal Lecter (O Silêncio dos Inocentes), Darth Vader (Guerra nas Estrelas) ou Capitão Nascimento (Tropa de Elite). O grande valor dos quadrinhos era impossível de ser transportado para a telona.

Assim como a complexidade da história, em três horas é impossível contar tudo da mesma forma, coisas importantes precisavam ser deixadas de lado, como detalhes de relacionamentos entre personagens ou a morte de um valioso contraste de gerações. Por isto eu sempre esperei que esta adaptação fosse uma série e não um longa metragem.

O ponto forte da parte técnica fica para a caracterização dos personagens, a fotografia que é belíssima e a trilha sonora que trás muito bem o clima do filme e época. Os pontos fracos são a atuação de alguns atores, principalmente por parte da Malin Arkeman (Espectral), o exagero de câmeras lenta - estas poderiam ser trocadas por história, valeria mais a pena - e os claros vícios do diretor, que aplicou as mesmas soluções usadas em 300.

Por fim, vale a pena assistir, mas é muito melhor ler. E se você não leu, vai perder uma bela trama que não foi contada no cinema. Espero não ver mais comentário como "Zack Snyder é o revolucionário diretor...".




Acesse também:
Neste mesmo dia, em outro ano:

4 comentários:

Glauco disse...

Cara, eu ia fazer um post sobre watchmen... mas vc disse tudo.
Abrass!!

Glauco Paiva disse...

...Mas... Só a cena de abertura com "Times they are changing" Já vale o ingresso!

Rodrigo Müller disse...

eu ouvia falar de Watchmen quando anunciaram o filme e não sabia que cargas d'água era isso. depois de ler os quadrinhos admito que virei um megafã e aí sim me deu vontade de assistir o filme.

as impressões que tenho antes de assisti-lo (aqui no interior do interior do interior do Rio Grande do Sul ainda não entrou em cartaz) é de que o elenco escolhido é um pouco inexperiente. acho que Watchmen por sua magnitude, pelo menos na graphic novel, merecia uns atores BEM mais conceituados, mas como eu disse, essa é minha impressão ANTES de ver o filme.

posto outro comentário aqui assim que eu conseguir assistir. =D

Tati disse...

Eu não tinha lido a HQ, mas fui ver o filme só pelo hype [/o tipo mais odiado (pelo fã true)de telespectador. Achei o filme foda, até por que não conhecia a história prá poder botar defeito, néam? Agora baixay a HQ e estou lendo. \o/